quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Laje Nervurada!

A laje nervurada é uma técnica conhecida e muito utilizada desde o período a.C., quando as estruturas horizontais reticuladas (semelhantes às lajes nervuradas) eram empregadas por serem mais rígidas com menos material.

A NBR 6118:2003 define lajes nervuradas como “lajes moldadas no local ou com nervuras pré-moldadas, cuja zona de tração é constituída por nervuras entre as quais pode ser colocado material inerte.”. Elas são, na verdade, nada mais do que um conjunto de vigas que se cruzam e que são solidarizadas por uma capa ou mesa de compressão.

Veja os detalhes em planta e vista:

E também um corte esquemático:

Em relação à laje maciça, a laje nervurada é mais econômica por eliminar o concreto desnecessário na região tracionada. Por ter mais altura que a maciça de mesma inércia, a laje nervurada reduz também a ferragem.

Há três tipos de lajes nervuradas: a laje moldada no local, laje com nervuras pré-moldadas e lajes nervuradas com capitéis e com vigas-faixa. Todas são feitas “in-loco”, ou seja, precisam de molduras e escoramento. 


Foi o avanço da arquitetura e engenharia que resultou nesse tipo de laje. Mas, por que? Você pode estar se perguntando. É simples. Com novas tecnologias construtivas e com o aumento da quantidade de pavimentos, de espaço e consequentemente do peso da obra, houve a necessidade de buscar alternativas.

Além do peso a mais, a utilização do concreto maciço aumentava muito o preço da obra e o tempo de execução. Com os moldes e os vãos criados pelas nervuras, foi possível reduzir o peso, o custo, aumentar o tempo e uma simplificação da armadura nos casos de concreto armado, tudo isso sem comprometer a estrutura.


Esse não comprometimento dá-se ao fato de que as nervuras atuam na parte de resistência à tração, e o concreto que era utilizado na zona neutra não compromete em nada, dando lugar aos vãos sem nenhum problema. Além de todos os benefícios ao se falar da própria obra, há também uma menor utilização do concreto, que como sabemos é um grande agravante na quantidade de CO2 liberado na atmosfera. A mão de obra também se torna mais barata e requer menos material de construção.


Os moldes para a composição da laje nervurada podem ser alugados e reutilizados várias vezes, apoiando-os com escoras de madeira com peso distribuído em tábuas para que não haja afundamento do solo e, depois da cura do concreto, é só utilizar um martelo para tirá-los com facilidade.

Fonte: Wikipedia, Estruturas de Concreto.

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Laje com isopor

Na laje, a cerâmica também vem sendo substituída, mas desta vez pelo isopor!
É que tanto a lajota de cerâmica quanto o bloco de isopor são usados na laje apenas como base para o ferro e concreto, elementos que realmente determinam a qualidade/segurança da laje, então para essa questão tanto faz um como o outro.
Mas em outros aspectos, a laje com isopor leva vantagem!
Primeiro: pelo preço, visto que isopor é bem mais barato do que cerâmica!
Segundo: por ser bem mais leve e consequentemente deixar a laje mais leve. 
Terceiro: os isopores são mais ágeis na montagem, já que um bloco de isopor substitui 5 lajotas de cerâmicas.
Quarto: mais resistentes no transporte, na colocação e na concretagem. 
Quinto: facilitam instalações elétricas e tubulações e sexto: não absorvem a água do concreto no processo de "aguar a laje", o que possibilita a cura da laje mais rápida.
Além do mais, para quem vai construir uma casa com telhado platibanda é muito importante optar pela laje com isopor, pois ela apresenta melhor desempenho térmico (isola o calor de fora e mantém a temperatura interna) e principalmente acústico, já que isola o barulho da telha metálica em dias de chuva e elimina a necessidade da colocação das telhas de aço termoacústicas que são bem mais caras...



terça-feira, 17 de outubro de 2017

Decorando a mesa para o almoço em família!

Reunir a família para um almoço é sempre divertido e prazeroso, ainda mais quando isso acontece numa mesa colorida e inspiradora. A refeição pode ser feita ao ar livre, na varanda da casa, e a mesa decorada com vasinhos de flores do campo, guardanapos de tecido e louça colorida. Que tal? Confira!


















segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Toalhas de Mesa para o dia-a-dia!

Vocês já perceberam como é difícil encontrar toalhas de mesa mais moderninhas para usar em dias normais, tem pessoas que nem gostam de usa-las. Mas, quem quiser ganhar dinheiro, esse mercado é bem deficitário.


















domingo, 15 de outubro de 2017

João Cabral de Melo Neto

A arquitetura como construir portas, 
de abrir; ou como construir o aberto;
construir, não como ilhar e prender,
nem construir como fechar secretos;
construir portas abertas, em portas;
casas exclusivamente portas e tecto.
O arquiteto: o que abre para o homem 
(tudo se sanearia desde casas abertas)
portas por-onde, jamais portas-contra;
por onde, livres: ar luz razão certa.

Até que, tantos livres o amedrontando, 
renegou dar a viver no claro e aberto.
Onde vãos de abrir, ele foi amurando
opacos de fechar; onde vidro, concreto;
até fechar o homem: 
na capela útero, com confortos de matriz, outra vez feto.

sábado, 14 de outubro de 2017

ARQUITETANDO COM THELMA: PÉS PALITOS!

Laura Teixeira tem algumas mesinhas de canto e centro para a sala de estar com os pés palito que estão na super moda. Eu, particularmente, os acho muito simples e requintados pela pureza do design. Use, abuse e se inspire! 




















sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Ventilação cruzada, você sabe o que é?

Nos dias de muito calor a forma mais natural de refrescar o ambiente é aumentando a circulação do ar no interior da casa, ventilando-a.
A melhor maneira de promover a circulação do ar dentro de casa é adotando o que se chama de ventilação cruzada. Veja os exemplos abaixo:



quinta-feira, 12 de outubro de 2017